Notícias

Rede de gás natural chega à Ilha do Leite

         Em aproximadamente 60 dias, o Polo Médico do Recife poderá utilizar o gás natural. Este é o tempo previsto para conclusão das obras de instalação da rede de gás natural, no bairro da Ilha do Leite, iniciadas esta semana, pela Copergás. São quase 3 km de gasodutos abrangendo 14 vias do bairro, com um investimento aproximado de R$ 680 mil.
            A primeira etapa dos trabalhos consiste na sinalização da área e, logo em seguida, a preparação de furos. O método empregado pela Tecmaster, construtora contratada para executar a obra, é o MND (método não destrutivo), que realiza um furo direcional por onde introduz a tubulação sem precisar abrir valas. Ao finalizar a obra, a Copergás tem como prática deixar o asfalto, nos pontos de interferência, totalmente refeitos. Com isso, minimiza a possibilidade de transtornos para moradores e transeuntes.
            A empresa também adota placas sinalizadoras de velocidade e desvios para conservar a fluidez do trânsito na área, além de manter técnicos para orientar os motoristas. Ao todo, a obra vai envolver 70 profissionais, que estarão seguindo procedimentos e instruções de segurança determinados para este tipo de operação.
            A rede de gás natural vai passar pelas seguintes vias: Rua Joaquim Ignácio, Av. Agamenon Magalhães, Rua do Paissandu, Praça Chora Menino, Av. Lins Petit, Rua das Fronteiras, Rua Estado de Israel, Praça Miguel de Cervantes, Rua Frei Matias Teves, Rua Francisco Alves, Rua Antonio Gomes de Freitas, Rua Dr. João Asfora, Rua jornalista Trajano Chacon e Rua senador José Henrique.
            Benefícios – Com a chegada do gás natural à Ilha do Leite será possível abastecer hospitais e clínicas localizadas na região, além de prédios residenciais, como já ocorre em outras localidades do Recife. O uso do gás natural em centros hospitalares é de grande valor por diversas questões. Uma delas é o fator ambiental, pela queima mais limpa; outra é por oferecer abastecimento contínuo de energia, e ainda há o lado econômico, pois é um produto mais viável financeiramente em comparação com outros energéticos.
            O gás natural pode ser utilizado para aquecimento de água, em caldeiras, para abastecimento de fornos e fogões, secadoras, geradoras de energia e aparelhos de ar-condicionado. O combustível também é mais seguro por se dispersar rapidamente em casos de vazamento e não necessitar de armazenamento no local. Outras vantagens são o baixo custo de manutenção e o pagamento somente após o consumo.
            Em Pernambuco, o hospital Português já utiliza o gás natural com um consumo médio de 923 metros cúbicos/dia.  Em todo o Estado, o energético é empregado para uso industrial, veicular, comercial e residencial. Atualmente, somando todos os segmentos, o consumo médio do produto fica em torno de 1 milhão metros cúbicos/dia.
Fonte: Assessoria de Comunicação